Avisos

Aula de 5 de abril foi cancelada

Atenção, alunos do COF : Hoje, sábado, 5 de abril, NÃO HAVERÁ AULA.  Leia mais »

Como tornar-se um leitor inteligente

Substituição dos vídeos

 Prezados alunos e assinantes,

 Leia mais »

Cancelamento da aula de 8 de junho

em

 Prezados alunos,

 

A aula de 8 de junho do Curso Online de Filosofia foi cancelada pelo professor Olavo. A próxima aula será no dia 15 de junho.  Leia mais »

Você quer se inscrever no Curso Online de Filosofia?

Scottish School of Common Sense

Caros Alunos do Seminário,  Leia mais »

Why study English with Professor Margarita Noyes?

 

Professor Margarita has a unique style of teaching which combines quality literary material with the teaching of English structures, collocations, idioms, and way of thinking. This means that students are able to kill two birds with one stone: while they're reading, listening to and learning high quality literary texts and absorbing the content therein, they're also learning English in an entertaining and effortless way.  Leia mais »

Raízes da Modernidade

 

Curso em 6 aulas por Olavo de Carvalho

Colonial Heights, VA, 17 a 22 de outubro de 2011

 

Os manuais, os professores de ginásio, a mídia popular e a sabedoria convencional descrevem o advento da modernidade pela recusa da autoridade da Igreja, pelo descrédito da filosofia aristotélica, pelo primado das ciências de observação sobre as antigas deduções metafísicas e pelo culto da liberdade individual em oposição à obediência passiva que havia caracterizado, segundo se diz, a conduta do homem medieval.  Leia mais »

Malditos farsantes

Malditos farsantes

 

Olavo de Carvalho

  

“Contra factum non argumentum est.”

 

   Leia mais »

Concurso Santo Palavrão: o prêmio é meu

 Prezado Sr. Sidney Silveira,

 

            Com referência ao Concurso “Santo Palavrão” (http://contraimpugnantes.blogspot.com/2011/07/concurso-santo-palavrao.html), reivindico a entrega imediata do prêmio prometido.

            S. Thomas More, na sua célebre “Responsio ad Lutherum”, que contesta as objeções do monge alemão a um tratado teológico de autoria do rei Henrique VIII, usa contra Lutero os mais chocantes palavrões disponíveis na época, e ainda os repete e floreia com variações que sublinham o seu propósito declaradamente ofensivo.

            Mais significativa ainda é a razão com ele justifica o emprego da linguagem obscena, dizendo que o que havia de mais abominável no escrito de Lutero não era tanto o teor de seus erros teológicos quanto o fato de que, para sustentá-los, o monge de Wittenberg falsificava o sentido das palavras do Rei, exatamente como o senhor mesmo, Sidney Silveira, fez com um texto meu dias atrás. Responder com puras contestações eruditas a semelhante baixeza, dizia o santo, seria conceder-lhe uma honra imerecida, motivo pelo qual ele preferia se dirigir a Lutero nos seguintes termos:  Leia mais »