julho

Educação Liberal - A apologia de Sócrates, parte 1

A primeira aula sobre A apologia de Sócrates, de Platão, no grupo de introdução à educação liberal, organizado por Olavo de Carvalho e Jos&  Leia mais »

A situação da língua literária portuguesa

Encontro de Olavo de Carvalho com os escritores Ângelo Monteiro, Rodrigo Gurgel, Paulo Briguet, Bruno Garschagen e Miguel Bruno Duarte, ocorrido entre os dias 2 e 8 de junho, na biblioteca de  Leia mais »

Curso Teoria do Estado - Aula 09

Nona aula do curso de Teoria do Estado, ministrado pelo professor Olavo de Carvalho na pós-graduação em Administração Pública, na PUC-PR de Curitiba, entre 2003 e 2004. Foram dadas 11 aulas, que serão publicadas mensalmente, seguindo a freqüência e ordem com que o curso foi ministrado.  Leia mais »

Inteligência, ciência e fé.

OS MATERIALISTAS, pragmatistas e tutti quanti censuram à inteligência humana o não poder ultrapassar a esfera dos esquemas formais e dar-nos a realidade viva do objeto  Leia mais »

Ainda o debate entre gayzistas e evangélicos

Aula do Curso Online de Filosofia do dia 7 de julho de 2012. Pelo conteúdo de interesse geral, essa aula está disponível ao público.

 

Scottish School of Common Sense

Caros Alunos do Seminário,  Leia mais »

Malditos farsantes

Malditos farsantes

 

Olavo de Carvalho

  

“Contra factum non argumentum est.”

 

   Leia mais »

Concurso Santo Palavrão: o prêmio é meu

 Prezado Sr. Sidney Silveira,

 

            Com referência ao Concurso “Santo Palavrão” (http://contraimpugnantes.blogspot.com/2011/07/concurso-santo-palavrao.html), reivindico a entrega imediata do prêmio prometido.

            S. Thomas More, na sua célebre “Responsio ad Lutherum”, que contesta as objeções do monge alemão a um tratado teológico de autoria do rei Henrique VIII, usa contra Lutero os mais chocantes palavrões disponíveis na época, e ainda os repete e floreia com variações que sublinham o seu propósito declaradamente ofensivo.

            Mais significativa ainda é a razão com ele justifica o emprego da linguagem obscena, dizendo que o que havia de mais abominável no escrito de Lutero não era tanto o teor de seus erros teológicos quanto o fato de que, para sustentá-los, o monge de Wittenberg falsificava o sentido das palavras do Rei, exatamente como o senhor mesmo, Sidney Silveira, fez com um texto meu dias atrás. Responder com puras contestações eruditas a semelhante baixeza, dizia o santo, seria conceder-lhe uma honra imerecida, motivo pelo qual ele preferia se dirigir a Lutero nos seguintes termos:  Leia mais »

Conselhos aos Estudantes de Filosofia

Anotação do dia 22 de dezembro de 1995 em Seminarium: Páginas de um Diário Filosófico, de Olavo de Carvalho, ainda inédito.

Comentários à Resposta a Carlos Nougué

O vídeo abaixo traz a gravação da última aula do Curso Online de Filosofia, transmitida em 16 de julho de 2011.  Leia mais »